Retrospectiva 2012 – A moda e a Índia

Após um post mais sério embasado totalmente na responsabilidade social, vamos viajar para o outro lado do mundo e desfrutar um pouco da principal vestimenta da mulher indiana: os saris.

Depois de visitarmos a exposição da Índia em São Paulo, a equipe Vista News fez uma pesquisa totalmente voltada na vestimenta da mulher indiana e qual a ligação que ela tem com o mundo fashion e com o mundo comercial.

O sari ou saree começou a ser utilizado em 2.800-1.800 a.C. na Índia e no Paquistão. Essa peça é feita de um tecido inteiro entre 4 a 9 metros de comprimento. É utilizado com uma anágua (conhecida como pavada ou pavadai) e com uma blusa (choli ou ravika). Os cholis normalmente são de mangas curtas, decotados e decorados.

Imagem

 

Sári/Créditos: site Oficina da Mulher

Imagem

Look da personagem Maya (Juliana Paes) da novela Caminho das Índias. Sari e Choli/Créditos: site Oficina da Mulher

O sari ou saree começou a ser utilizado em 2.800-1.800 a.C. na Índia e no Paquistão. Essa peça é feita de um tecido inteiro entre 4 a 9 metros de comprimento. É utilizado com uma anágua (conhecida como pavada ou pavadai) e com uma blusa (choli ou ravika). Os cholis normalmente são de mangas curtas, decotados e decorados.

Entretanto, na antiga tradição da Índia era utilizado somente o sari, pois, de acordo com a religião indiana, o umbigo do Supremo Ser é considerado fonte de vida e criatividade e portanto o diafragma deveria sempre estar descoberto. O choli só foi acrescentado na cultura indiana após a chegada dos britânicos no país para satisfazer a tradição vitoriana. Há documentos que relatam que até final do século XX, no sul da Índia, as mulheres andavam apenas com o sari e ainda hoje, em algumas áreas rurais, essa tradição ainda existe.

As cores e estampas também têm significados. A cartela de cores mais utilizada é: o vermelho que representa o fogo, o laranja que representa o nascer do sol, o ocre que representa o sangue, o rosa que representa a mãe terra e o verde que representa a mãe natureza. Já as estampas dos saris variam de acordo com a região. Em Haryana e partes de Uttar Pradseh e Rajastão é utilizado saris com flores grandes e geométricos, com tons vibrantes e brilhantes. Para festas importantes e casamentos utilizam-se saris de seda bordados com metais e, até mesmo, com prata e ouro.

Imagem

Camila (Isis Valverde) em seu casamento com sari bordado com ouro/Créditos: site Globo

Agora, o que tudo isso tem a ver com a moda? Quais são as referências utilizadas das vestimentas dos saris trazidas para a cultura ocidental? Essas são perguntas fáceis e muito gostosas de responder.

Já não é de hoje que vários estilistas embasam suas coleções em modelos, texturas, cores, cortes, aplicações, ornamentações e, até mesmo, imitações das indumentárias das culturas clássicas (Roma, Grécia e Egito) e da cultura oriental. Um exemplo de ousadia e atitude foi da grife Hermès que em 08 de outubro de 2011 lançou uma coleção de saris luxuosos em Mumbai, na Índia. De acordo com a Financial Times, alguns modelos de saris são inspirados nos lenços da própria marca com estampas marcantes e cores vibrantes.

Imagem

Coleção de Saris Hermès, outubro de 2011/Créditos: site Hermès

Imagem

Coleção de Saris Hermès, outubro de 2011/Créditos: site Hermès

Imagem

Coleção de Saris Hermès, outubro de 2011/Créditos: site Hermès

Espero que tenham gostado!

Beijos

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s