As cores e Você

Sabe quando vestimos uma roupa e achamos que aquela cor não nos cai tão bem? Você fica pálida ou ela te deixa com uma impressão de ser maior do que é, entre outras sensações desconfortáveis. Saiba que isto não é loucura! Existe o incrível mundo da ANÁLISE DE CORES para lhe mostrar que você pode e deve, para simplificar sua vida, ter sua própria cartela de cores!

Imagina só a facilidade de escolher: esmalte, maquiagem, roupas e até, porque não, a lingerie que mais combina com o seu tom de pele e cabelo?

A ANÁLISE DE CORES proporciona, após um estudo, que cada mulher tenha sua cartela personalizada. As cores possuem aspectos psicológicos, transmitem mensagens e quando ela está em sintonia com o nosso corpo e nossa mente, ela deixa nossa personalidade e qualidade destacadas! As cores ideais iluminam o rosto, suavizam a expressão e a textura da pele, fazendo com que a pessoa pareça melhor em diversos aspectos.

O método que as profissionais utilizam para análise da coloração pessoal é o sazonal expandido (dos 12 tons), ou seja, existem 4 cartelas de cores: primavera, verão, outono e inverno.

Imagem

Cartela de cores para o inverno intenso/ Créditos: Blog Karina Pagliuca

Imagem

A consultora de imagem, karina Pagliuca, aplicando o metódo para análise de coloração pessoal./ Créditos: Blog Karina Pagliuca

No site, OFICINA DE ESTILO, as Personal Stylists, Cris e Fê, ensinam um monte de coisas bacanas sobre a ANÁLISE DE CORES, como:

“Se uma pessoa tem pele clarinha e cabelo super escuro, essa pessoa tem um alto contraste entre essas duas cores e pode fazer altos contrastes também na hora de coordenar as cores que vai usar (tipo com um top branco e um cardigan preto por cima). Se a pessoa tem a pele ainda clara, mas o cabelo não tão escuro – ou se o cabelo é escuro, mas a pele não é tão clara – o contraste dela cai um pouquinho e fica quase médio, o que pode ser repetido na coordenação de cores das roupas também (tipo camiseta caramelo e lenço marrom). Se pele e cabelos são claros, o contraste é bem baixo: essa pessoa vai ficar mais bonita se repetir esse baixo contraste também nas roupas e nos acessórios (tipo vestido lilás e jaquetinha creme).”

Imagem

Cartela de cores das famosas./ Créditos: Google.com

E como surgiu tudo isso? No século passado, se deu o início do estudo das cores, na BAUHAUS, Alemanha, a primeira escola de design do mundo. Johannes Itten, artista plástico e professor da Bauhaus, ensinava, entre outras tantas coisas, técnicas de combinações harmoniosas de cores. Durante as aulas, ele e sua assistente perceberam que seus alunos, ao fazerem os seus estudos de cores, acabavam escolhendo tons que coincidentemente eram muito harmoniosos com os seus próprios tons naturais (de pele, cabelo, olhos…). Alunos com cabelos escuros, com olhos em cores intensas, com vivacidade na pele, acabavam escolhendo cores vivas, contrastantes, puras. Alunos com cabelos mais claros, olhos mais apagados, pele opaca, acabavam escolhendo cores mais suaves etc. Aos poucos, as mulheres foram inserindo esse estudo para escolher seus tons de roupas e acessórios.

Imagem

O início da ANÁLISE DE CORES / Créditos: site Oficina de Estilo

Para quem se interessou muitas consultoras de imagem fazem a ANÁLISE DE CORES pessoais, e se você mesmo quiser estudar, aqui vai uma dica de livro e da professora pioneira em ANÁLISE DE CORES no Brasil:

Livro Color Me Beautiful da Carole Jackson:

 Imagem

A professora que todas as consultoras de imagem adoram/ Créditos: site Ilana Berenholc

 

Beijos

Postado por Milena Welsh

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s