O formidável talento do pintor holandês percussor do estilo pós-impressionista

Desde garoto Vincent Van Gogh ansiava por mostrar algo nostálgico ao mundo. Sua face depressiva e inquieta ao mesmo tempo esboçava a compaixão e afeto pela arte. O primeiro quadro pintado, cujo destaque foi o início para a primeira fase de sua brilhante carreira foi Os Comedores de Batatas, de 1885, na qual o pintor retratou camponeses com traços grosseiros sob uma ótica profunda e comportamental das cores. O quadro foi pintado em Nuenen, cidade agrícola localizada nos países baixos na Holanda.

Os Comedores de Batatas. Fonte: Museu Van Gogh

Os Comedores de Batatas. Fonte: Museu Van Gogh

Sua estadia na França, no período entre 1886 até a data de sua morte em 1890, foi a época mais criativa e destemida de Vincent. A pintura intitulada Natureza Morta com Absinto, de 1887, demonstra uma cena comum na época em Paris: um café onde se encontra no cotidiano dos parisienses para conversar e relaxar. Outro destaque para a tela se nota ao fundo com algumas pessoas caminhando pela rua, e também a leveza da bebida colocada à mesa.

Natureza Morta com Absinto. Fonte: Museu Van Gogh

Natureza Morta com Absinto. Fonte: Museu Van Gogh

A intimidade também era retratada em seus quadros. Um dos mais famosos e prestigiados é o Quarto em Arles, onde se instalavam os aposentos do pintor na cidade francesa de Arles. Van Gogh pintou o quadro em três diferentes versões: a primeira versão, pintada em 1888, visa o lugar pessoal onde o pintor morou na famosa casa amarela, localizada na Place Lamartine, em Arles, França. Já a segunda e terceira versão do Quarto em Arles, foi um pedido concebido de Théo, também no ano de 1888. É nítido um ligeiro tom de nuances entre os quadros, na qual Vincent retratou também a tensão e a solidão onde vivia.

Versões do famoso quadro Quarto em Arles. Fonte: Museu Van Gogh

Versões do famoso quadro Quarto em Arles. Fonte: Museu Van Gogh

Para consolidar a genialidade de Van Gogh, o artista se arriscava a pintar cenas a partir de sua memória, caso de Noite Estrelada, pintura de 1889, quadro que Vincent marcou, em um dos mais belos de sua carreira, a bonita noite de Rhone, cidade pequena no sul de Paris.

 Noite Estrelada. Fonte: Museu Van Gogh


Noite Estrelada. Fonte: Museu Van Gogh

O pintor gostava também de autorretratos, principalmente retratados em suas crises de depressão. Sobre o incidente causado em um ataque de loucura em que o pintor corta a própria orelha Vincent fez questão de mostrar, em suas pinturas, tal episódio demasiado voraz de sua vida.

Auto retrato de Vincent Van Gogh mutilado, de sua autoria. Fonte: Getty Images

Auto retrato de Vincent Van Gogh mutilado, de sua autoria. Fonte: Getty Images

Todas as obras de Vincent Van Gogh estão localizadas em um museu fundado por sua cunhada Jo Van Gogh-Bonger, esposa de Théo. O local foi inaugurado em 1973, e é localizado em Amsterdã, na Holanda. O museu comporta mais de 200 pinturas originais de Vincent, além de seus desenhos e esboços de sua arte. Algumas obras de Vincent também podem ser vistas em outros renomados museus pelo mundo, que no Brasil estão expostas no Museu de Arte de São Paulo (MASP).

Museu Van Gogh, em Amsterdã na Holanda. Fonte: Getty Images

Museu Van Gogh, em Amsterdã na Holanda. Fonte: Getty Images

Renomado e polêmico, Vincent Van Gogh conseguiu o que sempre almejou em sua vida: se tornar grande e ter seu trabalho reconhecido, mesmo que em anos depois de sua trágica morte. Um gênio que com certeza permanecerá em nossas mentes.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s